Sabe aqueles jogos incrivelmente difíceis, rápidos e completamente viciantes? Sim, tipo Flappy Bird. Nestes games você demora 15 segundos para completar uma partida, chega perto de bater seu próprio recorde, mas acaba começando um novo jogo. Daí repete isso o dia todo e, quando vê, já jogou 17 horas e fez apenas 8 pontos. Boomerang Chang é um destes casos. Espero que você esteja pronto para o desafio.

Vou te ensinar a jogar para que você possa ignorar todo o resto do post e gastar cada segundo de seu tempo tentando quebrar recordes: seta pra cima pula; seta pra direita joga um bumerangue. Vai lá, campeão, quebra eles!

<!– <!–

Se você jogou antes de continuar a ler, já percebeu que o negócio é complicadíssimo.

Todo bumerangue que você atira fica dando voltas até acertar alguma coisa – inclusive você. Os bumerangues só vão para a direita, então é preciso calcular o caminho de volta para atingir os inimigos que vêm da esquerda. Há oponentes que sobem em sua torre. É quase impossível saltar sobre os inimigos voadores. Para piorar, atirar muitos bumerangues faz da sua vida um inferno. É tudo difícil, é tudo complicado. Mas é isso que torna as coisas cada vez mais interessantes.

Na minha primeira jogada fiz exatos 2 pontos. Foi trágico, triste. Na segunda, fiz 1. A decepção comigo mesmo foi quase insuportável. Mas então eu fiz 4 pontos. Em seguida, 12. Havia dominado o jogo. A vitória era minha. Na próxima partida, me superaria, faria 20 pontos. Talvez 30.

Fiz 0. Morri antes de matar o primeiro inimigo, atingido pelo meu próprio bumerangue. A vida é uma droga, a vida é injusta. Mas desistir não é uma opção. Vou chegar nos 20 pontos. Tenho que conseguir.

Boomerang Chang: difícil, rápido e viciante